INTRODUÇÃO

Incluir a palavra humanização no contexto dos cuidados de saúde não é garantia de modificação de comportamentos e do modo de olhar o outro na relação intersubjetiva entre profissionais de saúde e pacientes. Humanizar os cuidados de saúde implica reconhecer, identificar, interpretar e valorar o humano da Humanidade, trazendo para o centro da discussão não apenas as dimensões técnicas, científicas e éticas, mas também as que dão rosto às subjetividades que se encontram no e pelo ato de cuidar. Por isso o papel dos profissionais da educação e da saúde na preservação e promoção da paz constitui um factor muitíssimo significativo para se alcançar uma saúde para todos, que obste assim às vulnerabilidades de tantos através da responsabilidade de todos. Por seu turno, a saúde mental em pessoas com autonomia diminuída ocupa um lugar proeminente na discussão destes temas. 


COMISSÃO ORGANIZADORA

Manuel Cardoso de Oliveira (Presidente)Alice MartinsAna FonsecaAna Paula TeixeiraAugusta SilveiraCarla BarrosCristina AmaralCristina PimentãoFátima SilvaGlória JólluskinInês GomesIsabel SilvaJoana TeixeiraLuís Pinto Faria •  Paula DiasPedro CunhaRute MenesesSandra MaiaSusana TeixeiraTeresa SequeiraTeresa Toldy 


COMISSÃO CIENTÍFICA

Manuel Cardoso de Oliveira (Presidente)Ana FonsecaAugusta SilveiraCarla BarrosCristina PimentãoGlória JólluskinInês GomesIsabel SilvaLuís Pinto FariaPedro CunhaRosalvo AlmeidaRui MaiaRute MenesesSusana TeixeiraTeresa Sequeira Teresa Toldy